noticias520 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Política

Massa, o ministro da inflação disparada que quer ser presidente da Argentina

Publicada em 18/11/23 às 06:27h - 945 visualizações

AFP


Compartilhe
Compartilhar a noticia Massa, o ministro da inflação disparada que quer ser presidente da Argentina  Compartilhar a noticia Massa, o ministro da inflação disparada que quer ser presidente da Argentina  Compartilhar a noticia Massa, o ministro da inflação disparada que quer ser presidente da Argentina

Link da Notícia:

Massa, o ministro da inflação disparada que quer ser presidente da Argentina
Uma mulher passa pela propaganda política do ministro da Economia da Argentina e candidato presidencial, Sergio Massa, em Buenos Aires, em 15 de novembro de 2023  (Foto: Luis Robayo)

Com mais de 30 anos de carreira política, o carismático Sergio Massa buscará neste domingo (19) realizar o sonho de ser presidente da Argentina, um verdadeiro desafio para quem também é ministro da Economia em meio à crise mais grave das últimas décadas.

Massa enfrentará o libertário de extrema direita Javier Milei no segundo turno presidencial. As pesquisas preveem empate técnico.

Figura de destaque no governo peronista de centro-esquerda da Argentina, Massa eclipsou quase totalmente o presidente Alberto Fernández, que apareceu poucas vezes na mídia durante esta campanha.

É a segunda vez que Massa concorre à presidência, depois da derrota em 2015. E decidiu fazê-lo enquanto ocupa o cargo de ministro, com a ideia de que "a campanha é a gestão". 

Ele assumiu o cargo de ministro em um momento complicado, após as abruptas renúncias dos seus antecessores Silvina Batakis e Martín Guzmán, e depois foi elogiado pelos seus colegas.

"Sergio tomou posse três dias antes de partirmos de helicóptero", declarou o líder pró-governo Jorge Ferraresi, em referência à saída precipitada de Fernando de la Rúa em 2001, durante a pior crise da Argentina.

- Um grande vendedor -

Aos 51 anos e adepto do diálogo, Massa fez acordos com empresários, sindicatos e com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Mas não conseguiu controlar a inflação, principal preocupação dos argentinos.

Advogado de formação, tem a capacidade de mostrar as dificuldades como conquistas, pelo menos entre seus apoiadores.

"Mesmo que não tenha um plano, ele improvisa de forma constante e suas promessas não são cumpridas, ele sempre passa a ideia de que está no controle da situação e que encontrará uma saída", disse Diego Genoud, biógrafo não autorizado de Sergio Massa.

Uma habilidade que seus rivais criticam. "Ele é um cara perigoso justamente pela capacidade de iludir as pessoas. É capaz de fazer um discurso com uma naturalidade e eficácia discursiva que faz com que acreditemos nele, mesmo que seja totalmente contrário aos fatos. Tendemos a acreditar em Massa", afirmou o deputado da oposição Fernando Iglesias. 

Massa "só está interessado no acúmulo de poder", disse.

- Apaixonado -

Sempre com sorriso no rosto, Massa fala devagar, como se estivesse em um 'Ted Talk'. 

No entanto, em mais de uma ocasião ele se descreveu como um "apaixonado" e destacou a herança italiana que seus pais imigrantes lhe transmitiram. 

"Sou super apaixonado, para o bem ou para o mal", explicou em entrevista, na qual revelou ainda que teve fortes brigas com vários familiares.

Em seguida, garantiu que não aguenta mais o mesmo nível de intensidade que tinha na juventude: "Os golpes moldam você", disse.

- Amigos, inimigos e família -

Em sua carreira política, Massa transformou amizades em inimizades e vice-versa, diversas vezes. Ele deu o salto para a política nacional em 2013 com a "Frente Renovador", uma força dentro do peronismo que se apresentou como uma alternativa ao governo de Cristina Kirchner (2007-15), de quem foi chefe de gabinete e que hoje o apoia novamente. 

Em 2015 foi candidato à presidência, mas ficou em terceiro lugar no primeiro turno das eleições, vencidas pelo direitista Mauricio Macri no segundo turno. 

Antes de criar a "Frente Renovador", entre 2007 e 2008, e depois entre 2011 e 2015, foi prefeito da cidade de Tigre, nos arredores de Buenos Aires, pela aliança da então presidente Kirchner. Porém, alguns anos depois ele se distanciou dela e chegou a afirmar que "Cristina é o passado" ou que "ela deveria estar presa". Em 2019 aliou-se novamente à ex-presidente, eleita vice-presidente naquele ano.

"É difícil encontrar consistência em Massa. (Mas) ele tem a capacidade de estar sempre bem colocado e ser cobiçado no mercado do poder", disse Genoud à AFP. 

Massa nasceu e cresceu na periferia da província de Buenos Aires e começou no partido liberal UCEDÉ no final dos anos 1980. Em meados da década de 1990 voltou sua militância para o peronismo bonaerense com a ajuda das líderes políticas Cristina Camaño e Marcela Durrieu, sua sogra. 

Durrieu o apresentou à filha, Malena Galmarini, com quem se casou e teve dois filhos. "Ela os juntou, deve ter gostado dele como namorado de Malena", lembrou Fernando Galmarini, sogro de Massa e ex-líder peronista.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1458856
Usuários Online: 26
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!