noticias620 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Policial

Suspeitos de matar médicos tinham sinais de tortura, facadas e tiros

Laudos mostram detalhes das cenas encontradas por policiais nos locais em que foram encontrados corpos de suspeitos de matar médicos no Rio.

Publicada em 07/10/23 às 07:17h - 1040 visualizações

Mateus Salomão, Metrópoles


Compartilhe
Compartilhar a noticia Suspeitos de matar médicos tinham sinais de tortura, facadas e tiros  Compartilhar a noticia Suspeitos de matar médicos tinham sinais de tortura, facadas e tiros  Compartilhar a noticia Suspeitos de matar médicos tinham sinais de tortura, facadas e tiros

Link da Notícia:

Suspeitos de matar médicos tinham sinais de tortura, facadas e tiros
O veículo foi alvo de vários tiros  (Foto: Arthur Guimarães/Metrópoles)
Os corpos dos suspeitos de terem assassinado três médicos na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, tinham sinais de espancamento, facadas e tiros. As informações constam em laudos da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) obtidos em primeira mão pelo jornal O Globo e a que o Metrópoles teve acesso.

A polícia encontrou dois carros com quatro cadáveres no fim da noite de quinta-feira (5/10). A localização ocorreu horas após o assassinato dos médicos Marcos de Andrade Corsato, Perseu Ribeiro Almeida e Diego Ralf Bomfim, em um quiosque na Barra da Tijuca.

Três corpos estavam dentro de um carro na Rua Abrahão Jabour, nas proximidades do Riocentro; e outro, em um segundo veículo, na Rua da Gardênia, no bairro Gardênia Azul.

Dois dos quatro mortos foram identificados. Os corpos seriam de Philip Motta, conhecido por Lesk, e Ryan Nunes de Almeida, que seria membro do grupo liderado por Motta, chamado de “Equipe Sombra”.

Facadas e espancamento

Um dos documentos produzidos pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), e que descreve a cena encontrada pelos policiais no carro com três corpos, ressalta que os cadáveres tinham “ferimentos provocados por projéteis de arma de fogo e facadas”.

As imagens presentes no documento ainda mostram um dos mortos com fortes sinais de agressão (como olhos e lábios inchados). O laudo relativo ao corpo de Philip Motta, o Lesk, encontrado em um veículo na Rua da Gardênia, mostra diversas lacerações (em especial no peito), além de inúmeras marcas de tiro.

Morte por engano

A suspeita da polícia é que o médico Perseu Almeida teria sido confundido com o miliciano Taillon de Alcântara Pereira Barbosa, filho do Dalmir Pereira Barbosa, apontado como chefe da milícia de Rio das Pedras.

Taillon e Perseu têm semelhanças físicas, e o miliciano mora bem próximo ao quiosque onde os médicos estavam. O grupo de profissionais da saúde estava no Rio para participar de um congresso internacional.

Metrópoles apurou que líderes do Comando Vermelho (CV) ficaram indignados com o erro dos comparsas e temerosos de que o crime provocasse um revide brutal das autoridades. Assim, os supostos assassinos dos médicos teriam sido submetidos a um “tribunal do crime” que lhes imputou a pena de morte.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1465215
Usuários Online: 33
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!