noticias510 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Policial

Suspeito de desviar até R$ 140 milhões, Padre Egídio é preso na Paraíba

Segundo as investigações o sacerdote desviava a verba contra a instituição Hospital Padre Zé.

Publicada em 18/11/23 às 06:12h - 475 visualizações

DN


Compartilhe
Compartilhar a noticia Suspeito de desviar até R$ 140 milhões, Padre Egídio é preso na Paraíba  Compartilhar a noticia Suspeito de desviar até R$ 140 milhões, Padre Egídio é preso na Paraíba  Compartilhar a noticia Suspeito de desviar até R$ 140 milhões, Padre Egídio é preso na Paraíba

Link da Notícia:

Suspeito de desviar até R$ 140 milhões, Padre Egídio é preso na Paraíba
Padre foi preso na manhã desta sexta-feira (17)  (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)
Padre Egídio de Carvalho Neto, ex-diretor do Hospital Padre Zé, de João Pessoa, na Paraíba, foi preso nesta sexta-feira (17). A Justiça havia expedido três mandados de prisão contra ex-dirigentes da unidade hospitalar. O sacerdote é suspeito de desviar, junto a outras duas mulheres, até R$ 140 milhões da instituição.

As informações são do g1. O padre Egídio se apresentou a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), conforme informou André Macedo. Após audiência de custódia, o líder religioso foi encaminhado ao Presídio Especial do Valentina.

Além do padre, há ainda outras duas mulheres também foram presas. São elas: a ex-tesoureira da instituição, Amanda Duarte, e a ex-diretora administrativa, Jannyne Dantas. 

Por ter um filho de quatro meses, em amamentação exclusiva, Amanda irá cumprir prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica. Já Jannyne ficará Presídio Júlia Maranhão.

Como ocorria os desvios


Segundo as investigações, as verbas desviadas eram advindas a programas sociais como distribuição de refeições a moradores de rua, amparo a famílias refugiadas da Venezuela, apoio a pacientes em pós-alta hospitalar, realização de cursos profissionalizantes, preparação de alunos para o Exame Nacional de Ensino Médio, cuidados a pacientes com Aids, entre outros. 

Os recursos, segundo o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), eram desviados através do Instituto São José, responsável pelo Hospital Padre Zé e da Ação Social Arquidiocesana. Os crimes teriam iniciado em 2013. 

O que diz a Arquidiocese da Paraíba 


A Arquidiocese da Paraíba disse ao g1 que está sabe da sua responsabilidade e compromisso com transparência e integridade. Disse também que colabora com as investigações. 

"Reforçamos nosso compromisso com a transparência e manifestamos total apoio às autoridades competentes, colaborando de forma irrestrita para que toda a verdade sobre os eventos em questão seja esclarecida”, disse em nota.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1594066
Usuários Online: 31
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!