noticias685 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Economia

União Brasil vai tentar medida legislativa para segurar avanço de pauta sobre ICMS no Ceará

A ideia é que a pauta só seja analisada pelos 46 deputados após a formação das comissões temáticas.

Publicada em 14/02/23 às 05:26h - 660 visualizações

Felipe Azevedo, felipe.azevedo@svm.com.br, DN


Compartilhe
Compartilhar a noticia União Brasil vai tentar medida legislativa para segurar avanço de pauta sobre ICMS no Ceará  Compartilhar a noticia União Brasil vai tentar medida legislativa para segurar avanço de pauta sobre ICMS no Ceará  Compartilhar a noticia União Brasil vai tentar medida legislativa para segurar avanço de pauta sobre ICMS no Ceará

Link da Notícia:

União Brasil vai tentar medida legislativa para segurar avanço de pauta sobre ICMS no Ceará
 (Foto: Fotomontagem/Fábio Souza Tavares)

A bancada do União Brasil na Assembleia Legislativa do Ceará (Alece) pretende acionar o regimento interno da Casa para adiar a votação de projetos do Governo do Estado recém-chegados e que tratam sobre orçamento. A ideia é que a pauta só seja analisada pelos 46 deputados após a formação das comissões temáticas, o que deve ocorrer depois do Carnaval. 

Compondo a oposição, os parlamentares se reuniram na tarde desta segunda-feira (13) no gabinete do deputado Sargento Reginauro (União), na Alece. Além dele, participaram da reunião o deputado estadual Felipe Mota e o federal Danilo Forte, do mesmo partido.

Durante o encontro, Danilo Forte questionou principalmente o projeto que eleva a alíquota modal do ICMS no Estado, de 18% para 20%, a partir de 2024.

Os projetos do governador Elmano de Freitas (PT) estão sendo tratados como um "pacote econômico" pensado, segundo o governo, para atenuar a perda de arrecadação.

Além do projeto que eleva a alíquota-base do ICMS, há outro que pede autorização da Alece para um empréstimo de R$ 900 milhões e outro que trata sobre isenção fiscal. 

ESTRATÉGIA

"Vamos questionar a legalidade da lei, uma vez que há uma possibilidade de ser inconstitucional, algo que fere a lei de responsabilidade fiscal (com o novo empréstimo), e justificando o aumento da alíquota baseado numa possível perda de arrecadação", argumenta o Sargento Reginauro. 

A ideia central é pedir o adiamento da votação da matéria, que atualmente está com pedidos de vistas na Mesa Diretora. A estratégia é que o assunto só volte a ser tratado nas comissões, que só serão formadas em março. Uma audiência pública deve ser feita até lá. 

"A mensagem está apenas sob tramitação na mesa diretora, e isso nos daria prazo para a instalação das comissões, que seria o lugar mais apropriado para que a gente tenha tempo hábil para debater todas essas matérias e convocar o setor produtivo, as universidades, a sociedade civil para ampliar esse debate", disse o parlamentar.

Há ainda a possibilidade de judicializar as matérias. A primeira estratégia, no entanto, é de adiar a votação para que o assunto seja tratado nas comissões.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1465207
Usuários Online: 25
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!