noticias158 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Brasil

José Maria Trindade diz que sindicato deve ser autossustentável e defender o trabalho

Para Trindade, sindicatos não devem defender interesses corporativistas.

Publicada em 26/09/23 às 07:02h - 364 visualizações

Fábio Souza Tavares


Compartilhe
Compartilhar a noticia José Maria Trindade diz que sindicato deve ser autossustentável e defender o trabalho  Compartilhar a noticia José Maria Trindade diz que sindicato deve ser autossustentável e defender o trabalho  Compartilhar a noticia José Maria Trindade diz que sindicato deve ser autossustentável e defender o trabalho

Link da Notícia:

José Maria Trindade diz que sindicato deve ser autossustentável e defender o trabalho
Jornalista José Maria Trindade  (Foto: Reprodução/X/@josemtrindade)

José Maria Trindade, jornalista da Jovem Pan, ao comentar ontem (25.09) à noite a possibilidade da cobrança retroativa do imposto sindical que está sendo motivada pela aprovação do referido imposto pelo STF, disse que o sindicato tem que ser autossustentável e lutar pelo interesse do trabalho.

Essa importante afirmação seria universalmente óbvia se não tivéssemos uma esquerda - que é detentora da maior fatia do sindicalismo brasileiro - tão parasitária e aparelhista. O sindicalismo, no Brasil, em sua expressão majoritária, vive mais de benesses e apoio estatal do que do seu próprio esforço em construir condições de autonomia e livre estabilidade.

José Maria, o Zé, afirmou que os grandes sindicatos - evidentemente que não os ligados à esquerda - não queriam o retorno do imposto sindical. Também disse que todos os sindicatos deveriam defender o trabalho e não questões corporativas que se contrapõem à lógica produtiva e social do trabalho. O jornalista também defendeu que esse instrumento de luta não deva ser uma entidade meramente assistencialista.

Conheço bem os vícios corporativos dos sindicatos e sua forma de defender o que não se coaduna com a verdadeira essência do trabalho, principalmente no serviço público onde as entidades sindicais mantêm um grande peso.

Se um sindicato realmente representa a classe trabalhadora, pode manter-se e pode gerir sua existência sustentado pelo conjunto dos seus filiados sem a necessidade da transferência obrigatória, mediante ação do Estado, de dias de trabalho de toda a classe trabalhadora que, em sua grande maioria, não está filiada a nenhum sindicato.

Já pensou se as igrejas deixassem de se manter pela contribuição dos fieis e passassem a existir mediante um imposto obrigatório colocado sobre as costas do conjunto da população brasileira? Algum sindicalista pode dizer que essa minha analogia é sem sentido. Acontece que um gato nunca reclama quando alguém lhe dá um peixe fresco.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1465031
Usuários Online: 69
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!