noticias5 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Brasil

André Mendonça vota a favor da Globo em ação no Supremo

Ação está relacionada a autuações da Receita Federal contra a emissora.

Publicada em 19/05/24 às 11:56h - 638 visualizações

Paulo Moura, Pleno News


Compartilhe
Compartilhar a noticia André Mendonça vota a favor da Globo em ação no Supremo  Compartilhar a noticia André Mendonça vota a favor da Globo em ação no Supremo  Compartilhar a noticia André Mendonça vota a favor da Globo em ação no Supremo

Link da Notícia:

André Mendonça vota a favor da Globo em ação no Supremo
André Mendonça  (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)
O ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou a favor da Globo em um processo que tramita na Suprema Corte sobre autuações realizadas pela Receita Federal contra a emissora por suposta sonegação de impostos. A conduta em questão está relacionada a contratações de artistas como pessoas jurídicas, prática chamada de “pejotização”.

Nos últimos anos, especialmente a partir de 2020, a Receita distribuiu diversas multas milionárias e autuações a artistas por considerar que eles sonegaram impostos ao firmarem contrato entre suas empresas e a Globo para prestação de serviços artísticos. Como as pessoas jurídicas estão sujeitas a alíquotas menores que os 27,5% das pessoas físicas, o Fisco considerou que os alvos deixaram de pagar tributos.

Em agosto do ano passado, no entanto, Mendonça anulou um auto de infração e um procedimento administrativo fiscal da Receita Federal que tinham como alvo a contratação, pela Globo, da LP-LAZ, empresa do ator Lázaro Ramos. Com a decisão, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) recorreu apresentando um agravo regimental, que é o que está sendo julgado atualmente.

Ao negar o recurso e reafirmar seu posicionamento em favor da emissora, Mendonça considerou que o Fisco desrespeitou entendimentos do STF em relação à “pejotização”, entre eles a Ação Declaratória de Constitucionalidade 66, julgada em dezembro de 2020, quando o Supremo disse ser constitucional e lícita a utilização de pessoas jurídicas para buscar reduzir encargos fiscais, previdenciários e trabalhistas.

A decisão de Mendonça reforça o entendimento de outros ministros da Suprema Corte em casos semelhantes envolvendo a Globo. Os magistrados Cristiano Zanin e Alexandre de Moraes, por exemplo, já decidiram contra o Fisco em ações envolvendo artistas como Reynaldo Gianecchini, Deborah Secco, Maria Fernanda Cândido, Susana Vieira, Irene Ravache, Tony Ramos, Marcos Palmeira e Mateus Solano.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1641212
Usuários Online: 55
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!