noticias107 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Política

Ex-secretário de Saúde deixa pré-campanha de Boulos e diz que motivação é falta de repúdio ao Hamas

Jean Gorinchteyn foi secretário durante a gestão de João Doria; Boulos, nas redes, defendeu direitos palestinos, mas disse condenar ataques.

Publicada em 08/10/23 às 17:28h - 617 visualizações

Danilo Moliterno, CNN


Compartilhe
Compartilhar a noticia Ex-secretário de Saúde deixa pré-campanha de Boulos e diz que motivação é falta de repúdio ao Hamas  Compartilhar a noticia Ex-secretário de Saúde deixa pré-campanha de Boulos e diz que motivação é falta de repúdio ao Hamas  Compartilhar a noticia Ex-secretário de Saúde deixa pré-campanha de Boulos e diz que motivação é falta de repúdio ao Hamas

Link da Notícia:

Ex-secretário de Saúde deixa pré-campanha de Boulos e diz que motivação é falta de repúdio ao Hamas
Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do Estado de São Paulo (19.out.2020)  (Foto: CNN Brasil)

Secretário de Saúde do estado de São Paulo durante a pandemia de Covid-19, Jean Gorinchteyn confirmou à CNN que deixou a pré-campanha de Guilherme Boulos (PSOL) à Prefeitura da capital.

A motivação, diz Gorinchteyn, foi o deputado federal não condenar os ataques do Hamas a Israel, que tiveram início no sábado (7). Ele coordenava plano da pré-campanha na área da Saúde.

“Diante da postura pró-Palestina que não menciona ou condena o grupo extremista islâmico armado Hamas pelos atentados em Israel, que vitimaram civis e sequestraram mulheres e crianças, adotei a decisão oficial de me retirar”, escreveu em nota.

O médico infectologista, que foi secretário durante a gestão de João Doria, indicou ainda que “é imperativo condenar e repudiar ataques terroristas contra civis em qualquer lugar do mundo”.

“Reafirmo meu compromisso como judeu em apoio ao Estado de Israel e em respeito às vítimas e seus familiares”, completou.

Boulos usou suas redes sociais por volta do meio dia deste domingo (8) e disse “condenar sem meias palavras ataques violentos a civis, como os que mataram nas últimas horas 250 israelenses e 232 palestinos”. Ele destacou, porém, sua defesa pública dos “direitos do povo palestino”.

“Defendo uma solução pacífica e duradoura, que passe pelo cumprimento do direito internacional e das resoluções de paz”, escreveu.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1466869
Usuários Online: 37
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!