noticias598 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Política

Ao contrário do que afirmava Barroso, Fachin diz que Justiça Eleitoral pode estar sob ataque hacker

Em 2020, o atual presidente do TSE disse que as urnas eletrônicas não eram vulneráveis

Publicada em 17/02/22 às 07:11h - 349 visualizações

Revista Oeste


Compartilhe
Compartilhar a noticia Ao contrário do que afirmava Barroso, Fachin diz que Justiça Eleitoral pode estar sob ataque hacker  Compartilhar a noticia Ao contrário do que afirmava Barroso, Fachin diz que Justiça Eleitoral pode estar sob ataque hacker  Compartilhar a noticia Ao contrário do que afirmava Barroso, Fachin diz que Justiça Eleitoral pode estar sob ataque hacker

Link da Notícia:

Ao contrário do que afirmava Barroso, Fachin diz que Justiça Eleitoral pode estar sob ataque hacker
Edson Fachin  (Foto: ANDRESSA ANHOLETE/AFP)

Pouco mais de um ano depois de o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, garantir em 2020 que “as urnas eletrônicas não são passíveis de ataques cibernéticos”, o ministro Luís Edson Fachin afirmou que a “Justiça Eleitoral já pode estar sob ataque de hackers”. A declaração de Fachin foi publicada em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo nesta quarta-feira, 16.

Futuro chefe da Corte eleitoral a partir da próxima semana, Fachin citou a Rússia. “A preocupação com o ciberespaço se avolumou imensamente nos últimos meses”, afirmou. “Posso dizer que a Justiça Eleitoral já pode estar sob ataque de hackers, não apenas de atividades de criminosos, mas também de países, tal como a Rússia, que não têm legislação adequada de controle.”

De acordo com o ministro, foram detectados “riscos eleitorais” vindos de países, como, por exemplo, a Macedônia do Norte. “Em relação aos hackers que advêm da Rússia, os dados que nós temos dizem respeito a um conjunto de informações que estão disponíveis em vários relatórios internacionais”, disse.

Fachin e as redes sociais

Sem resposta do aplicativo russo Telegram a contatos do TSE, Fachin avisou que é “hora de endurecer” para evitar que a plataforma seja usada na campanha deste ano para difundir “fake news”. Mas destacou que ainda vai aguardar uma posição do Congresso para restringir a atuação de redes sociais.

Fachin descartou a possibilidade de os militares se atrelarem a “interesses conjunturais”, caso o presidente Bolsonaro seja derrotado nas urnas neste ano. “Nós teremos o maior teste das instituições democráticas”, observou. Segundo Fachin, o slogan de sua gestão será “paz e segurança nas eleições”.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1691421
Usuários Online: 25
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!