noticias456 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Policial

Marcola obtém alvará de soltura, mas continuará preso em Brasília

Prisão preventiva contra Marcola foi revogada, mas ele segue cumprindo pena de 338 anos.

Publicada em 03/10/23 às 05:17h - 832 visualizações

DN


Compartilhe
Compartilhar a noticia Marcola obtém alvará de soltura, mas continuará preso em Brasília  Compartilhar a noticia Marcola obtém alvará de soltura, mas continuará preso em Brasília  Compartilhar a noticia Marcola obtém alvará de soltura, mas continuará preso em Brasília

Link da Notícia:

Marcola obtém alvará de soltura, mas continuará preso em Brasília
Marcola foi transferido para penitenciária do Distrito Federal em janeiro.  (Foto: AFP)

Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como líder da facção PCC, teve alvará de soltura concedido pela Justiça em um processo de homicídio contra um policial. Ele permanecerá preso, no entanto, por outras condenações. A informação foi divulgada pelo colunista Josmar Jozino, do Uol.

Marcola foi acusado de homicídio contra o policial militar Nelson Pinto e tentativa de homicídio contra o também PM Marcelo Henrique dos Santos Moraes. Os dois agentes foram baleados em maio de 2006, em um atentado atribuído ao PCC.

No processo, a 2ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de SP entendeu que houve excesso de prazo no julgamento do caso. Marcola teve a prisão preventiva decretada em setembro de 2006. 

Como não foi realizado julgamento até o momento e nem há data para que se realize, os desembargadores entenderam que Marcola está sofrendo 'constrangimento ilegal' e revogaram a prisão preventiva. Outro réu do caso já tinha obtido o benefício.

O Ministério Público de São Paulo alega que o PCC ordenou ataques contras policiais e agentes públicos, além de ataques contra fóruns e delegacias, em retaliação à transferência de presos. 

Marcola segue preso

Apesar da prisão preventiva revogada, Marcola permanece cumprindo pena na Penitenciária Federal de Brasília. Ele foi condenado a 338 anos de prisão por crimes de roubo, homicídios, formação de quadrilha, associação ao tráfico de drogas e organização criminosa.

Ele estava detido na penitenciária federal de Porto Velho (RO) e foi transferido para Brasília em janeiro, após a descoberta de um possível plano de fuga.

A condenação mais recente do criminoso foi após acusação do Ministério Público de São Paulo (MPSP) de ter dado ordem para matar o promotor de Justiça Lincoln Gakiya e o chefe da Coordenadoria dos Presídios da Região Oeste do Estado (Croeste), Roberto Medina, em dezembro de 2018.

A defesa de Marcos afirma até hoje que ele nunca integrou o PCC, não liderou nenhuma célula de organização criminosa e não deu ordem para matar autoridades, policiais ou agentes públicos.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1465195
Usuários Online: 13
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!