Política

Bolsonaro defende perdão a Silveira e diz que Barroso mente

Publicada em 28/04/22 às 06:21h - 90 visualizações

por Murilo Fagundes, Poder360


Compartilhe
Compartilhar a notícia Bolsonaro defende perdão a Silveira e diz que Barroso mente  Compartilhar a notícia Bolsonaro defende perdão a Silveira e diz que Barroso mente  Compartilhar a notícia Bolsonaro defende perdão a Silveira e diz que Barroso mente

Link da Notícia:

Bolsonaro defende perdão a Silveira e diz que Barroso mente
Deputado federal Daniel Silveira (PSL/RJ)  (Foto:  Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu respeito à independência dos Poderes e afirmou que o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, mente ao dizer que inquérito – aberto em 2018 para investigar segurança das urnas eletrônicas – é sigiloso.

“Dirigindo-me ao ministro Barroso, uma pessoa que fala muito bem e tem currículo invejável, [pediria que] aquele inquérito aberto em 2018 tivesse o seu deslinde. Queremos o parecer. Não poderia ter eleição em 2020 sem conclusão daquele inquérito, que não era sigiloso. Mente o ministro quando diz que era sigiloso. Mente. Uma vergonha”, disse Bolsonaro.

O chefe do Executivo deu a declaração em evento com congressistas que tinham como pauta a defesa da liberdade de expressão. O encontro foi um pedido das bancadas Evangélica e da Segurança Pública.

Na agenda de Bolsonaro, o compromisso foi descrito como “encontro com Parlamentares” e tem como pauta a “liberdade de expressão”. O evento foi transmitido pela TV Brasil, rede de televisão pública do Poder Executivo.

Em seu discurso, o chefe do Executivo fez algumas referências a Silveira, que estava na plateia do evento. Disse que a decisão de conceder o indulto individual não foi fácil, mas que o deputado “sofreu bastante” com as decisões da Suprema Corte.

“Um cabo da PM sofreu com perda do cargo e da liberdade por vários meses. Coloque-se no lugar do deputado. Casado, 2 filhos pequenos, passar praticamente 8 meses longe da família. Vemos absurdos acontecendo no Brasil”, disse.

“Tenho falado: o decreto é constitucional e será cumprido. No passado, se anistiavam bandidos. Agora, a gente anistia inocentes”, declarou o presidente.

Ato no Planalto

O ato no palácio nesta 4ª foi uma forma de dar apoio ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado a 8 anos e 9 meses de prisão pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na última 4ª feira (20.abr.2022). Ele teve a pena perdoada pelo presidente no dia seguinte, por meio de graça constitucional.

Silveira recebeu aplausos quando chegou ao Salão Nobre do Planalto. Ele segurava quadro com o decreto de benefício da graça concedida por Bolsonaro. O quadro foi uma homenagem que o chefe do Executivo recebeu do deputado Coronel Tadeu (PL-SP).

Inicialmente, o ato foi divulgado como uma iniciativa que incluía também a FPA (Frente Parlamentar do Agronegócio). Ao jornal Valor Econômico, o líder da bancada ruralista, Sérgio Souza (MDB-PR), negou que tivesse assinado o pedido enviado à Presidência.

Leia a lista com alguns dos presentes no evento:

Deputados:

  • Sóstenes Cavalcante (PL-RJ)
  • Capitão Augusto (PL-SP)
  • Daniel Silveira (PTB-RJ)
  • Marco Feliciano (PL-SP)
  • Coronel Chrisóstomo (PL-RO)
  • Carlos Jordy (PL-RJ)
  • General Girão (PL-RN)
  • Soraya Manato (PTB-ES)
  • Marcelo Aro (PP-MG)
  • Luiz Lima (PL-RJ)
  • Alê Silva (Republicanos-MG)
  • Filipe Barros (PL-PR)
  • Caroline de Toni (PL-SC)
  • João Campos (Republicanos-GO)
  • Osmar Terra (MDB-RS)
  • Sargento Fahur (PSD-PR)
  • Pastor Eurico (Pl-PE)
  • Delegado Éder Mauro (PL-PA)
  • Sanderson (PL-RS)
  • Eli Borges (PL-TO)
  • Junio Amaral (PL-MG)
  • Capitão Derrite (PL-SP)
  • Liziane Bayer (Republicanos-RS)
  • Gurgel (PL-RJ)

Senadores:

  • Luiz Carlos Heinze (PP-RS)

Ministros:

  • Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública)
  • Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)
  • Célio Faria Júnior (Secretaria de Governo)
  • Carlos Brito (Turismo)
  • Joaquim Leite (Meio Ambiente)
  • Paulo Alvim (Ciência, Tecnologia e Inovações)
  • Marcelo Queiroga (Saúde)
  • Ronaldo Bento (Cidadania)
  • José Carlos Oliveira (Trabalho e Previdência)
  • Marcos Montes (Agricultura)
  • Crtistiane Britto (Mulher, Família e Direitos)

Urna paraguaia

Diferentemente da urna brasileira, a usada no Paraguai exige que o eleitor inclua um cartão de votação no equipamento.

Eis o passo a passo de como a votação é realizada:

  • O boletim eleitoral é inserido na urna;
  • Na tela são apresentados os candidatos;
  • O eleitor seleciona suas escolhas e clica em confirmar e imprimir;
  • A urna realiza a impressão automática dos dados no boletim;
  • Para confirmar o voto, o eleitor passa o boletim no leitor de verificação da urna.

Também é possível simular o uso da urna neste link.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 549978
Usuários Online: 72
Copyright (c) 2022 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!