noticias329 Seja bem vindo ao nosso site Sovaco de Cobra!

Política

Juiz que barrou homenagem a Michelle já trabalhou com Moraes

Magistrados já atuaram juntos no STF e TSE.

Publicada em 25/03/24 às 05:44h - 848 visualizações

Monique Mello, Pleno News


Compartilhe
Compartilhar a noticia Juiz que barrou homenagem a Michelle já trabalhou com Moraes  Compartilhar a noticia Juiz que barrou homenagem a Michelle já trabalhou com Moraes  Compartilhar a noticia Juiz que barrou homenagem a Michelle já trabalhou com Moraes

Link da Notícia:

Juiz que barrou homenagem a Michelle já trabalhou com Moraes
Michelle Bolsonaro  (Foto: Divulgação/Partido Liberal)

Marco Antônio Martins Vargas, juiz que proibiu a entrega do título de cidadã paulistana a Michelle Bolsonaro no Theatro Municipal de São Paulo, já trabalho com Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal.

Os magistrados já foram colegas em duas Cortes: no STF e no Tribunal Superior Eleitoral Eleitoral (TSE), do qual Moraes é o atual presidente.

De acordo com Igor Gadelha, do Metrópoles, Vargas atuou no gabinete de Moraes, na função de juiz auxiliar, entre março de 2023 e janeiro de 2024.

Em setembro do ano passado, Vargas chegou a conduzir uma audiência com o tenente-coronel Mauro Cid. Já no TSE, o juiz auxiliar trabalhou com Moraes de agosto de 2022 até março do ano seguinte.

Antônio Martins Vargas assinou a decisão contra a homenagem a Michelle no teatro na função de juiz substituto da 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Na decisão, ele alegou que o uso do espaço para a homenagem acarretaria em um “grave risco de desvio de finalidade do bem público”.

O vereador Rinaldi Digilio (União Brasil-SP), por sua vez, disse que não foi notificado da decisão e que, por essa razão, manterá a cerimônia no local. Ele é o autor do projeto que concederá o título à ex-primeira-dama.

– Não fui notificado oficialmente, e por isso, a cerimônia está mantida para segunda-feira no Theatro Municipal. Mesmo que o fosse, não posso deixar que uma ação ilegal, que promove a censura e ataca diretamente uma prerrogativa do Poder Legislativo, faça com que a primeira-dama, uma pessoa honrada, passe por esse constrangimento – disse o parlamentar em nota.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 1594298
Usuários Online: 69
Copyright (c) 2024 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!