Policial

Darlan Lobo: Um chefe de organização criminosa às avessas

Açodamento e excesso de criatividade marcaram o entendimento da Operação Públio Vatino.

Publicada em 25/11/21 às 06:40h - 630 visualizações

por Fábio Souza Tavares


Compartilhe
Compartilhar a notícia Darlan Lobo: Um chefe de organização criminosa às avessas  Compartilhar a notícia Darlan Lobo: Um chefe de organização criminosa às avessas  Compartilhar a notícia Darlan Lobo: Um chefe de organização criminosa às avessas

Link da Notícia:

Darlan Lobo: Um chefe de organização criminosa às avessas
Darlan Lobo (PTB), presidente da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte/CE  (Foto: Reprodução)

A entrevista de Darlan Lobo (PTB), presidente afastado da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte/CE, e do seu advogado José Boaventura Filho ontem (24) no programa Jornal Super Tempo, apresentado pelo radialista Taciano Clécio, clareou vários pontos sobre os autos da Operação Públio Vatino, o assunto mais falado atualmente no Município.

Segundo as investigações, Darlan seria chefe de uma organização criminosa com três núcleos: um ligado ao jogo do bicho, um econômico-empresarial e um político-administrativo. Como não aparece nada de Darlan em relação ao jogo do bicho, o presidente da Câmara estaria à frente do núcleo político-administrativo interagindo com o núcleo econômico empresarial.

Dos fatos apresentados por Darlan, as acusações são uma a uma desmentidas.


 1. Da relação com os vereadores


Darlan afirmou que nunca favoreceu nenhum vereador e que, inclusive - como consta nos autos da investigação -, chegou a discutir com Beto Primo sobre uma diária (R$ 500,00) a mais acerca da viagem de alguns vereadores a Brasília, conforme transposição abaixo retirada de telefonemas gravados pela Polícia Civil e degravados nos autos:

"PARCIAL I - BETO PRIMO X DARLAN LOBO (RUBENS DARLAN DE MORAIS LOBO - CPF. 485.641.923-49): BETO liga para DARLAN e conversam sobre a estadia num hotel em Brasília - DF. BETO argumenta sobre a concessão de 05 (cinco) diárias para custear as despesas. DARLAN pergunta quando vai ser a viajem BETO diz que o voo sai de Juazeiro do Norte às 01h30 da manhã. DARLAN diz que não há legalidade para pagar 05 (cinco) diárias, pois, o TCE verifica apenas o dia da saída e o dia do retorno. BETO insiste mas DARLAN o remove da ideia de receber as 05 (cinco) diárias. (...) DARLAN: sim, mas aí meu 'filhinho' como é que se paga uma diária se você está no Juazeiro ainda, aí você quer que nós vomite isso depois? BETO: não, Deus me livre e guarde Ave Maria, eu só tô lhe expondo o problema, entenda DARLAN: sim, mas não tem legalidade para pagar as quatro diárias, tem você sair o voo agora duas horas da tarde, três horas..."

Darlan também disse que às vezes pede dinheiro emprestado a seus amigos vereadores, pois não é toda hora que tem dinheiro no bolso (pois seu limite de saque é de R$ 1.500,00), bem como que amigos vereadores compravam em sua loja de material de construção, o que é bastante normal.


2. Da relação com a Werton Engenharia & Arquitetura Ltda. ME


A Werton é a empresa apresentada como principal no núcleo econômico-empresarial. Darlan disse que sua relação com a empresa, contratada pela Câmara Municipal pelo então presidente Glêdson Bezerra para fazer a construção da nova sede, nunca foi amistosa, pois, diante das irregularidades da obra da nova sede da Câmara Municipal se indispôs a pagar as parcelas empenhadas por Glêdson, atual prefeito de Juazeiro do Norte, e que só o fez mediante exigência do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). Quanto aos contratos da Werton com o governo municipal, Darlan disse que como presidente do Legislativo não possuía nenhuma ingerência sobre a Comissão de Licitação da Prefeitura, o que parece ser bastante óbvio.


3. Dos mandados de busca e apreensão


Darlan disse que os mandados não encontraram nada que o comprometesse, que chefes de organizações criminosas guardam somas vultosas em casa e possuem carro de luxo, iate ou helicóptero, o que não é o seu caso.


Chefe fraco


Diante dos fatos apontados, até o presente momento, parece que Darlan está longe de ser um chefe de uma organização criminosa de tamanha grandeza. Um chefe que discute com um suposto membro de sua "quadrilha" por causa de uma diária de R$ 500,00, um chefe que se nega a pagar à empresa apontada como pertencente à sua organização criminosa, um chefe que pede mixaria emprestada a seus comandados, um chefe que não guarda milhões em casa e não possui bens imóveis e móveis suntuosos é chefe de que mesmo? Como se dizia antigamente, é um chefe que não vale um Cibazol.


Açodamento


Para o advogado de defesa José Boaventura Filho, houve açodamento (PRECIPITAÇÃO) por parte das autoridades judiciais em pedir o afastamento do seu cliente da Câmara de Vereadores, uma vez que, mesmo diante dos mandados de busca e apreensão, nada foi provado contra ele. Ademais, os fatos relatados na investigação são pretéritos (ANTERIORES) ao atual mandato legislativo de Darlan, não podendo incidir sobre ele.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

2 comentários


Fernando José sobreira de Sousa

25/11/2021 - 11:29:12

Parabéns Jornalista Fábio souza, pelo esclarecimento dos fatos,assim é q se faz jornal Com imparcialidade


João Paulo ramos

25/11/2021 - 10:25:33

Confiar em quem? Se a turma só vê os adversários de Kiko! CNJ cnmp e o que resta em breve teremos audiência com estes órgãos e vamos ver mo que dá! Porque aqui e só de um lado!


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 9.9926-5572

Visitas: 550549
Usuários Online: 103
Copyright (c) 2022 - Sovaco de Cobra - www.sovacodecobra.com.br / A sua voz não pode cessar!